Categorias
Espiritualidade

Enfermidade

Enquanto nos escasseie educação, nos domínios da mente, a enfermidade por mortificação involuntária, desempenhará expressivo papel em nossa vida espiritual.
Na maioria das circunstâncias, somos nós quem lhe pede a presença e o concurso, antes da reencarnação, no campo da existência física, à maneira do viajor, encomendado recursos de segurança para a travessia do mar; e, em ocasiões outras, ele constitui auxílio de urgência, promovido pela bondade dos amigos, que se erigem, nas esferas superiores, à condição de patronos da nossa libertação para a Vida Maior.
À face de semelhante motivo, doenças existem de múltiplas significações, como sejam:
Inibições trazidas do berço – moléstias – amparo, comboiando votos de melhoria moral; Dermatoses recidivantes – moléstias – proteção, coibindo desmantelos do sentimento;
Mutilações congênitas – moléstias – refúgio, impedindo a queda em atos de violência ou venalidade;
Incômodos imprevistos – moléstias – socorro, evitando o mergulho da alma em compromissos inferiores;
Males de longo curso – moléstias – abrigo, obstando enredamento da criatura nas tramas da obsessão.
Certamente, ninguém deve acalentar desequilíbrios orgânicos sob a desculpa de buscar a purificação da vida interior.
O corpo físico é para a alma encarnada aquilo que a máquina significa, à frente do operário, – instrumento de serviço e progresso, que ele recebe de autoridade maior, a fim de produzir, a benefício dos outros e de si próprio, cabendo-lhe a obrigação de assisti-la constantemente e restaurá-la sempre que necessário.
Todavia, diante da doença que persiste no corpo, a despeito de todas as medidas acautelatórias e defensivas, é imperioso reconhecer-lhe a função providencial e tratá-la com a certeza de quem carrega consigo a luz de uma benção.

Emmanuel, em Caminho Espírita

Categorias
Espiritualidade

Avaliação

Avaliação

Quando saíste desse ou daquele acidente, sem calamidades fatais, não te fixes na recordação das fases difíceis de semelhante acontecimento. Reflete no auxílio dos Enviados do Bem que conseguiram colocar-te a salvo de consequências a lamentar.
Quando venceste lutas e tentações que te situavam às portas da insanidade ou do suicídio, não te demores na rememoração dos fatos que te impeliam a enganos e alucinações. Medita na dedicação dos Amigos Espirituais, domiciliados em Plano Superior, que te evitaram a queda nos despenhadeiros da sombra.
Quando varaste o tratamento da saúde comprometida por enfermidade complexa, não te cristalizes na ideia de doença e sofrimento. Imagina a generosidade dos Mensageiros da Luz que te reduziram as crises orgânicas, sem que disso te apercebesses, socorrendo-te, tanto na assistência médica como também no carinho daqueles que te rodeiam, a fim de que se te alongue a existência na Terra, com a oportunidade de trabalhar. Ainda mesmo nas provas que consideres claramente infelizes, não te craves em pensamentos de tristeza ou desânimo.
Avalia as bênçãos que te ficam no balanço de quaisquer ocorrências e agradece o saldo dos recursos e vantagens com que a Misericórdia Divina te favorece, na certeza de que os Emissários dos Céus te ajudarão a reconhecer que Deus, em qualquer situação e em qualquer tempo faz, por nós todos, o que seja melhor.

Chico Xavier/Meimei