Categorias
Espiritualidade

Justiça e amor / Justice and love

Sempre que te reportes à justiça, repara que Deus a fez assistida pelo amor, a fim de que os caídos não sejam aniquilados.
Terás contigo a lógica indicando-te os males e o entendimento inspirando-te o necessário socorro aos que lhes sofrem o assédio.
Onde passes, compadece-te dos vencidos que contemples à margem…
Muitos pranteiam as ilusões que lhes trouxeram arrependimento e remorso e muitos se levantam ainda sobre os próprios enganos, à maneira de trapezistas inconscientes, ensaiando o último salto ao precipício da morte.
Dir-te-ão alguns não precisarem de teu consolo, fugindo-te à presença, com receio da verdade que te brilha na boca, e outros, que descreram do poder renovador do trabalho, preferem rolar no vício, descendo, mais cedo, os degraus do sepulcro.
Além deles, porém, surgem outros… Os que desanimaram em plena luta, recolhendo-se ao frio da retaguarda, os que enlouqueceram de sofrimento, os que perderam a fé por falta de vigilância, os que se transviaram à míngua de reconforto e os que se abeiram do suicídio, tomados pelo superlativo do desespero.
Tentando dar-lhes remédio, ergue o mundo penitenciárias e hospitais, reformatórios e manicômios; no entanto, para ajudá-los, confere-te o Cristo a flama do amor no santuário do coração.
Todos esses padecentes da estrada têm algo para ensinar.
Os que tombam esmagados de aflição induzem-te ao serviço pelo mundo melhor, e os que se arrojam a monstruosos delitos falam, sem palavras, em louvor do equilíbrio de que dispões, auxiliando-te a preservá-lo.
Não permitas que a justiça de tua alma caminhe sem amor, para que se não converta em garra de violência.
Ao pé dos maiores celerados da Terra, Deus colocou mães que amam, embora esses filhos desditosos de sua bênção lhes transformem a vida em fonte de lágrimas.
Diante, pois, dos vencidos de todas as condições e de todas as procedências, não mostres desprezo, nem grites anátema.
Não lhes conheces a história desde o princípio e não percebes, agora, a causa invisível da dor que os degrada.
Ora e auxilia em silêncio, porque não sabes se amanhã raiará teu instante de abatimento e de angústia, e manda a regra divina façamos aos outros aquilo que desejamos nos seja feito.
Justiça sem amor é como terra sem água.
Recorda que o próprio Cristo, reconhecendo que os vencedores do mundo habitualmente se inclinam à vaidade – perigosa armadilha para quedas maiores –, preferiu nascer na palha dos que vagueiam sem rumo, viver na dificuldade dos menos felizes e morrer na cruz reservada às vítimas do crime e aos filhos da escravidão.

Espírito Emmanuel, do livro Religião dos Espíritos, psicografado por Chico Xavier.

Whenever you refer to justice, notice that God made it assisted by love, so that the fallen are not annihilated.
You will have logic with you pointing out the evils and understanding inspiring you with the necessary help to those who suffer from them.
Wherever you pass, have mercy on the vanquished that you contemplate on the sidelines…
Many mourn the illusions that brought them regret and remorse, and many still rise up over their own mistakes, like unconscious trapeze artists, rehearsing the last leap to the precipice of death.
Some will tell you that they don’t need your comfort, fleeing from your presence, afraid of the truth that shines in your mouth, and others, who disbelieved in the renewing power of work, prefer to roll in vice, descending, sooner, the steps of the tomb.
In addition to them, however, there are others… Those who lost heart in the middle of the struggle, retreating to the cold of the rear, those who went mad with suffering, those who lost their faith for lack of vigilance, those who went astray for lack of comfort and those who close to suicide, taken by the superlative of despair.
Trying to give them medicine, he builds the world penitentiaries and hospitals, reformatories and asylums; however, to help them, Christ gives you the flame of love in the sanctuary of the heart.
All these road sufferers have something to teach.
Those who fall crushed with affliction induce you to serve for the better world, and those who dare to monstrous crimes speak, without words, in praise of the balance you have, helping you to preserve it.
Do not allow the justice of your soul to walk without love, so that it does not become a claw of violence.
At the foot of the greatest scoundrels on earth, God has placed mothers who love, although these unfortunate children of his blessing turn their lives into a source of tears.
Therefore, in front of the vanquished of all conditions and of all origins, do not show contempt, nor cry anathema.
You don’t know their history from the beginning and you don’t understand, now, the invisible cause of the pain that degrades them.
Pray and help in silence, because you don’t know if tomorrow your moment of despondency and anguish will arise, and the divine rule commands us to do to others what we want done to us.
Justice without love is like land without water.
He recalls that Christ himself, recognizing that the victors of the world are habitually inclined to vanity – a dangerous trap for greater falls –, preferred to be born in the straw of those who wander aimlessly, to live in the difficulties of the less happy and to die on the cross reserved for the victims of crime. and the children of slavery.

Emmanuel Spirit, from the book Religion of Spirits, psychographed by Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.