Categorias
Espiritualidade

De alma desperta / Soul awake

De alma desperta

“Por isso te lembro despertes o dom de Deus que existe em ti.” – Paulo. II Timóteo, 1:6.

É indispensável muito esforço de vontade para não nos perdermos indefinidamente na sombra dos impulsos primitivistas.
À frente dos milênios passados, em nosso campo evolutivo, somos suscetíveis de longa permanência nos resvaladouros do erro, cristalizando atitudes em desacordo com as Leis Eternas.
Para que não nos demoremos no fundo dos precipícios, temos ao nosso dispor a luz da Revelação Divina, dádiva do Alto, que, em hipótese alguma, devemos permitir se extinga em nós.
Em face da extensa e pesada bagagem de nossas necessidades de regeneração e aperfeiçoamento, as tentações para o desvio surgem com esmagadora percentagem sobre as sugestões de prosseguimento no caminho reto, dentro da ascensão espiritual.
Nas menores atividades da luta humana, o aprendiz é influenciado a permanecer às escuras.
Nas palestras comuns, cercam-no insinuações caluniosas e descabidas. Nos pensamentos habituais, recebe mil e um convites desordenados das zonas inferiores. Nas aplicações da justiça, é compelido a difíceis recapitulações, em virtude do demasiado individualismo do pretérito que procura perpetuar-se. Nas ações de trabalho, em obediência às determinações da vida, é, muita vez, levado a buscar descanso indevido. Até mesmo na alimentação do corpo é conduzido a perigosas convocações ao desequilíbrio.
Por essa razão, Paulo aconselhava ao companheiro não olvidasse a necessidade de acordar o “dom de Deus”, no altar do coração.
Que o homem sofrerá tentações, que cairá muitas vezes, que se afligirá com decepções e desânimos, na estrada iluminativa, não padece dúvida para nenhum de nós, irmãos mais velhos em experiência maior; entretanto, é imprescindível marcharmos de alma desperta, na posição de reerguimento e reedificação, sempre que necessário.
Que as sombras do passado nos fustiguem, mas jamais nos esqueçamos de reacender a própria que luz.

Espírito Emmanuel, do livro Vinha de Luz, psicografado por Chico Xavier.

Soul awake

“Therefore I remind you to awaken the gift of God that is in you.” – Paul. II Timothy, 1:6.

A lot of willpower is indispensable so as not to get lost indefinitely in the shadow of primitivist impulses.
Ahead of the past millennia, in our evolutionary field, we are susceptible to a long stay in the slips of error, crystallizing attitudes in disagreement with the Eternal Laws.
So that we do not linger at the bottom of precipices, we have at our disposal the light of Divine Revelation, a gift from Above, which, under no circumstances, we must allow to be extinguished in us.
In the face of the extensive and heavy baggage of our needs for regeneration and improvement, the temptations to deviate arise with an overwhelming percentage over the suggestions of proceeding on the straight path, within the spiritual ascent.
In the smallest activities of human struggle, the apprentice is influenced to remain in the dark.
In common lectures he is surrounded by slanderous and unreasonable insinuations. In habitual thoughts, he receives a thousand and one disorderly invitations from the lower zones. In the applications of justice, he is compelled to difficult recapitulations, due to the too much individualism of the past tense that seeks to perpetuate itself. In the actions of work, in obedience to the determinations of life, he is often led to seek undue rest. Even in the diet of the body, it leads to dangerous calls to imbalance.
For this reason, Paul advised his companion not to forget the need to wake up the “gift of God” on the altar of the heart.
That man will suffer temptations, that he will fall many times, that he will be afflicted with disappointments and discouragements, on the illuminating road, there is no doubt for any of us, older brothers in greater experience; however, it is essential to march with an awakened soul, in the position of rebuilding and rebuilding, whenever necessary.
May the shadows of the past lash us, but let us never forget to rekindle our own light.

Emmanuel Spirit, from the book Vinha de Luz, psychographed by Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.