Categorias
Espiritualidade

Auxílio / Aid

Auxiliar espontaneamente é refletir a Vida Divina por intermédio da vida de nosso “eu”, que se dilata e engrandece, à proporção que nos desdobramos no impulso de auxiliar.

A Eterna Providência é o reservatório do Amor Infinito, em doação permanente, solicitando canais de expressão que o distribuam, aos quais provê com matemática precisão.

É necessário, porém, estejamos de atalaia no celeiro de nós mesmos, a fim de que não impeçamos o eterno dar-se de Nosso Pai, dando incessantemente dos bens de que Ele nos enriquece.

Quem observa os princípios da eletricidade não ignora que o fluxo constante da força, para a consecução dos benefícios que ela produz, reclama um circuito completo. Se não houvesse polos positivos e negativos, não disporíamos do favor da luz e do movimento.

Quem conhece igualmente o manancial sabe que a água, para manter-se pura, exige escoadouro.

Toda obstrução, por isso mesmo, significa inércia e enfermidade.

A lei do auxílio permite a solicitação, mas determina a expansão para que a ajuda não desajude.

O sangue que não circula gera a necrose que traduz cadaverização dentro do corpo vivo.

O homem que saiba governar muitos bens reunidos, construindo com eles a base do trabalho e da educação de muitos, é qual represa em lide, no campo social, missionário do progresso que as leis da vida nutrem de esperança e saúde, segurança e alegria; ao passo que o detentor de numerosos bens, sem qualquer serventia para a comunidade, é um sorvedouro em sombra à margem do caminho, usurário infeliz que as mesmas leis da vida cercam de angústia e medo, solidão e secura.

O amparo que recolhemos corresponde ao amparo que dispensamos. E o amparo que dispensamos está invariavelmente seguido de vastos acréscimos potenciais para a hipótese de nos fazermos mais úteis.

Lembremo-nos de que refletir as bênçãos de Deus no socorro espontâneo ao próximo, sem o tambor da vaidade a estimular-nos o exclusivismo, é atrair os reflexos de Deus para aqueles que nos cercam e que, igualmente em silêncio, se deslocam ao nosso encontro, prestando-nos assistência efetiva.

Ajudar com o sentimento, com a ideia, com a palavra e com a ação, ajudar a todos e melhorar sempre é invocar, em nosso favor, o apoio integral da vida.

Não nos esqueçamos, pois, de que o auxílio que prestamos às criaturas, sem exigência e sem paga, é a nossa rogativa silenciosa ao Socorro Divino, que nos responde, invariável, com a luz da cooperação e do suprimento.

Espírito Emmanuel, do livro Pensamento e Vida psicografado por Chico Xavier.


Aid

To help spontaneously is to reflect the Divine Life through the life of our “I”, which expands and increases as we unfold in the impulse to help.

Eternal Providence is the reservoir of Infinite Love, in permanent donation, requesting channels of expression that distribute it, to which it provides with mathematical precision.

It is necessary, however, that we are on the lookout in the barn of ourselves, so that we do not impede the eternal giving of our Father, incessantly giving of the goods with which He enriches us.

Whoever observes the principles of electricity does not ignore that the constant flow of force, in order to achieve the benefits it produces, demands a complete circuit. If there were no positive and negative poles, we would not have the favor of light and movement.

Anyone who also knows the spring knows that water, in order to remain pure, requires an outlet.

Every obstruction, therefore, means inertia and illness.

The aid law allows the request, but determines the expansion so that the aid does not fail.

Blood that does not circulate generates necrosis that translates into cadaverization within the living body.

The man who knows how to govern many goods gathered together, building with them the basis of the work and education of many, is like a dam in struggle, in the social field, a missionary of progress that the laws of life nourish with hope and health, security and joy; while the holder of numerous goods, of no use to the community, is a sink in shadow by the side of the road, an unhappy usurer whom the very laws of life surround with anguish and fear, loneliness and dryness.

The support we collect corresponds to the support we dispense. And the support we dispense is invariably followed by vast potential additions to the hypothesis of making ourselves more useful.

Let us remember that to reflect God’s blessings in spontaneous help to others, without the drum of vanity stimulating us to exclusivity, is to attract God’s reflections to those around us and who, equally in silence, move to our meeting, giving us effective assistance.

Helping with feelings, ideas, words and actions, helping everyone and always improving is invoking, in our favor, the full support of life.

Let us not forget, therefore, that the help we provide to creatures, without demand and without payment, is our silent request to Divine Help, which invariably responds to us with the light of cooperation and supply.

Emmanuel Spirit, from the book Pensamento e Vida psychographed by Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.