Categorias
Espiritualidade

O ponto difícil / The hard point

Quase todos os núcleos domésticos conhecem de sobra o ponto nevrálgico da vida familiar.

Muita vez, quando o instituto consanguíneo se revela inatacável em sua dignidade, ei-lo que surge, estendendo incompreensão e pesar, discórdia e desespero.

Aqui, é um filho do ambiente enobrecido pela cultura espiritual, entregando-se a comportamento infeliz para infortúnio dos seus;

Ali, é a jovem rebelde criando problemas com que ateia no lar as labaredas da inquietação;

Acolá, é o parente que a expiação assinala com o estigma de moléstias difíceis, no círculo de irmãos robustos;

E, mais além, é o pai repentinamente esquecido dos deveres que lhe marcam a vida, atraindo em desfavor dos rebentos preocupados, incessantes flagelações.

A ciência materialista descobriu a palavra “atavismo” para acobertar o problema sem abordar-lhe a liquidação, mas sabemos, ante os princípios reencarnacionistas, que nesses corações infelizes e atormentados, encontramos na Terra os instrumentos de nossa regeneração clara e simples.

Pelo berço que a vida entretece, junto de nós recolheremos não apenas as doces afeições de que a nossa esperança se nutre, a caminho das Esferas superiores, mas também os desafetos profundos que deixamos na retaguarda por algemas de ódio que é preciso converter em laços de paz e amor.

Aprendamos a receber no ponto difícil da comunidade familiar a provação que se nos faz necessária ao próprio burilamento.

E, amparando aos companheiros que caem, auxiliando aos que a irresponsabilidade ensandece e, protegendo aqueles que a enfermidade domina, colaboraremos em favor de nós mesmos, no justo resgate de que não prescindimos, na própria libertação.

Espírito Emmanuel, do Livro Tocando o Barco, psicografado por Chico Xavier.


The hard point

Almost all households are well aware of the nerve center of family life.

Often, when the consanguineous institute reveals itself to be unassailable in its dignity, it appears, spreading incomprehension and regret, discord and despair.

Here, he is a child of the environment ennobled by spiritual culture, indulging in unhappy behavior to the misfortune of his own;

There, it is the young rebel creating problems with which she ignites the flames of unrest in the home;

There, it is the relative that the atonement marks with the stigma of difficult diseases, in the circle of robust brothers;

And, further on, is the father suddenly forgotten about the duties that mark his life, attracting incessant scourging to the detriment of the worried offspring.

Materialistic science discovered the word “atavism” to cover up the problem without addressing its liquidation, but we know, in the face of reincarnationist principles, that in these unhappy and tormented hearts, we find on Earth the instruments of our clear and simple regeneration.

Through the cradle that life weaves, with us we will gather not only the sweet affections on which our hope is nourished, on the way to the higher spheres, but also the deep disaffections that we leave behind by shackles of hate that must be converted into bonds of peace and love.

Let us learn to receive, at the difficult point of the family community, the ordeal that is necessary for us to refine ourselves.

And, supporting the companions who fall, helping those who are irresponsible and, protecting those who the disease dominates, we will collaborate in favor of ourselves, in the just rescue that we do not do without, in our own liberation.

Emmanuel Spirit, from the book Tocando o Barco, psychographed by Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.