Boca

Bocas reunidas na exaltação do mal se assemelham a caixotes de lixo, vazando bacilos de delinquência e de segregação espiritual. André Luiz, em Instruções Psicofônicas É imprescindível vigiar a boca, porque o verbo cria, insinua, inclina, modifica, renova ou destrói, por dilatação viva de nossa personalidade. Emmanuel, em Vinha de Luz