Categorias
Espiritualidade

O servidor negligente / The negligent server

À porta de grande carpintaria, chegou um rapaz, de caixa às costas, à procura de emprego.
Parecia humilde e educado.
O diretor da instituição compareceu, atencioso, para atendê-lo.
—Tem serviço com que me possa favorecer? — indagou o jovem, respeitoso, depois das saudações habituais.
—As tarefas são muitas — elucidou o chefe.
—Oh! Por favor! — tornou o interessado — meus velhos pais necessitam de amparo. Tenho batido, em vão, à porta de várias oficinas. Ninguém me socorre. Contentar-me-ei com salário reduzido e aceitarei o horário que desejar.
O diretor, muito calmo, acentuou:
—Trabalho não falta…
E, enquanto o candidato mostrava um sorriso de esperança, acrescentou:
—Traz suas ferramentas em ordem?
—Perfeitamente — respondeu o interpelado.
—Vejamo-las.
O moço abriu a caixa que trazia. Metia pena reparar-lhe os instrumentos.
A enxó se achava deformada pela ferrugem grossa.
O serrote mostrava vários dentes quebrados.
O martelo tinha cabo incompleto.
O alicate estava francamente desconjuntado.
Diversos formões não atenderiam a qualquer apelo de serviço, tal a imperfeição que apresentavam seus gumes.
Poeira espessa recobria todos os objetos.
O dirigente da oficina observou… observou… e disse, desencantado:
—Para o senhor, não temos nenhum trabalho.
—Oh! Porquê? — interrogou o rapaz, em tom de súplica.
O diretor esclareceu, sem azedume:
—Se o senhor não tem cuidado com as ferramentas que lhe pertencem, como preservará nossas máquinas? Se é indiferente naquilo em que deve sentir-se honrado, chegará a ser útil aos interesses alheios? Quem não zela atentamente no “pouco” de que dispõe, não é digno de receber o “muito”.
Aprenda a cuidar das coisas aparentemente sem importância. Pelas amostras, grandes negócios se realizam neste mundo e o menosprezo para consigo é indesejável mostruário de sua indiferença perniciosa. Aproveite a experiência e volte mais tarde.
Não valeram petitórios do moço necessitado. Foi compelido a retirar-se, em grande abatimento, guardando a dura lição.
Assim também acontece no caminho comum.
Quem deseja o corpo iluminado e glorioso na espiritualidade, além da morte, cuide respeitosamente do corpo físico.
Quem aspira à companhia dos anjos, mostre boas maneiras, boas palavras e boas ações aos vizinhos.
Quem espera a colheita de alegrias no futuro, aproveite a hora presente, na sementeira do bem.
E quantos sonharem com o Céu tratem de fazer um caminho de elevação na Terra mesma.

Espírito Neio Lúcio, do livro Alvorada Cristã, psicografado por Chico Xavier.

At the door of a large carpentry shop, a young man arrived, with a box on his back, looking for a job.
He looked humble and polite.
The director of the institution attended, attentive, to assist him.
“Do you have a service you can favor me with?” asked the young man, respectfully, after the usual greetings.
“The tasks are many,” the boss explained.
—Oh! Please! – the interested one replied – my old parents need protection. I have knocked, in vain, on the doors of several workshops. Nobody helps me. I’ll settle for a reduced salary and accept whatever hours I want.
The director, very calm, emphasized:
“There’s no shortage of work…”
And, while the candidate showed a smile of hope, he added:
“Do you bring your tools in order?”
“Perfectly,” replied the person questioned.
—Let’s see them.
The boy opened the box he was carrying. It was a shame to repair his instruments.
The adze was deformed by thick rust.
The saw showed several broken teeth.
The hammer had an incomplete handle.
The pliers were frankly disjointed.
Several chisels would not respond to any service call, such was the imperfection of their edges.
Thick dust covered all the objects.
The workshop manager watched… watched… and said, disenchanted:
“For you, we have no work.
—Oh! Because? asked the boy, in a pleading tone.
The director clarified, without bitterness:
“If you are not careful with the tools that belong to you, how will you preserve our machines?” If he is indifferent in what he should feel honorable about, will he ever be useful to the interests of others? Whoever does not pay close attention to the “little” he has, is not worthy of receiving the “much”.
Learn to take care of seemingly unimportant things. By the way, great business takes place in this world, and contempt for yourself is an undesirable display of your pernicious indifference. Enjoy the experience and come back later.
Petitions from the needy young man were not worth it. He was compelled to withdraw, in great dismay, keeping the hard lesson.
So it is also on the common path.
Whoever desires the enlightened and glorious body in spirituality, beyond death, respectfully care for the physical body.
Whoever aspires to the company of angels, show good manners, good words and good deeds to your neighbors.
Whoever expects the harvest of joys in the future, take advantage of the present moment, in the sowing of good.
And those who dream of Heaven, try to make a path of elevation on Earth itself.

Spirit Neio Lúcio, from the book Alvorada Cristã, psychographed by Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.