Categorias
Espiritualidade

Na tarefa de equipe / In Team Task

Meu amigo:
Não tema, nem receie. O timoneiro do barco é o Senhor. Coloquemos sobre o leme as nossas mãos e esperemos, n’Ele.
O trabalho é delicado na administração, mas se a glória humana pertence àqueles que a procuram, a humildade divina é dos corações que a buscam.
Despreocupados do império do “eu”, alcançaremos o Reino de Deus.
O discípulo fiel não pede, nem rejeita. Aceita as determinações do Senhor, com deliberação ardente de obedecer para maior exaltação de quem tudo nos deu.
Continuemos, assim, de esperanças entrelaçadas.
O amor do amigo verdadeiro desce abaixo das raízes ou se eleva acima das estrelas. Por isso, o Mestre chamou “amigo” aos aprendizes da hora primeira.
Nossa união tem imperativos a que não poderemos fugir. Subiremos com a graça celeste. Não descansaremos, até que todos respirem no cimo do monte.
O cascalho do personalismo excessivo ainda é o grande impedimento da jornada. Demora-se nas bases da senda e por isso mesmo nos dilacera. Contudo, ainda que nossos pés sangrem na estrada, recordar-nos-emos de que Jesus lavou os pés dos discípulos e purificou-os.
Haja mais amor nos corações para que o rio das dádivas transite no santuário, sem prejuízo do bem coletivo. Até mesmo para receber a felicidade é preciso preparação. Sem vaso adequado, os bens do Alto se contaminam com as perturbações do campo inferior, qual acontece à gota diamantina que se converte em lama quando cai na poeira da Terra.
Grande é a missão do templo do bem; e os irmãos que oficiam em seus altares não lhe podem esquecer as finalidades sublimes.
“Muito se pedirá àquele que muito recebeu”.
E o mesmo grupo não se constitui ao acaso.
Trabalhemos servindo ao bem, com esquecimento de todo mal.
Atendemos, ainda e sempre, aos nossos deveres do primeiro instante, com lágrimas de alegria. Não nos arrependeremos de haver renunciado. E possuiremos conosco, mais tarde, o supremo júbilo de reconhecer quão doce é o jugo do Senhor, porquanto, em companhia d’Ele, muito leve e sublime é o peso de nossos pequeninos trabalhos na Causa da Humanidade.

Espírito André Luiz, do livro Relicário de Luz, psicografado por Chico Xavier.

My friend:
Don’t be afraid. The helmsman of the boat is the Lord. Let us place our hands on the helm and wait in Him.
The work is delicate in administration, but if human glory belongs to those who seek it, divine humility belongs to the hearts that seek it.
Unconcerned with the empire of “I”, we will reach the Kingdom of God.
The faithful disciple neither asks nor rejects. He accepts the Lord’s determinations, with ardent determination to obey for the greater exaltation of the one who has given us everything.
Let us continue, therefore, with intertwined hopes.
A true friend’s love descends below the roots or soars above the stars. Therefore, the Master called the apprentices of the first hour “friend”.
Our union has imperatives that we cannot escape. We will ascend with heavenly grace. We won’t rest until everyone breathes on top of the mountain.
The gravel of excessive personalism is still the biggest impediment to the journey. It lingers at the foot of the path and that’s why it tears us apart. However, even if our feet bleed on the road, we will remember that Jesus washed the disciples’ feet and made them clean.
Let there be more love in hearts so that the river of gifts flows through the sanctuary, without prejudice to the collective good. Even to receive happiness requires preparation. Without an adequate vessel, the goods from Above become contaminated with the disturbances of the lower field, as happens to the diamond drop that turns into mud when it falls into the dust of the Earth.
Great is the mission of the temple of good; and the brothers who officiate at its altars cannot forget its sublime purposes.
“Much will be asked of him who has received much.”
And the same group is not constituted by chance.
Let us work serving the good, forgetting all evil.
We attend, still and always, to our duties from the first moment, with tears of joy. We will not regret having resigned. And we will possess with us, later, the supreme joy of recognizing how sweet is the yoke of the Lord, because, in His company, very light and sublime is the weight of our little works in the Cause of Humanity.

André Luiz Spirit, from the book Relicário de Luz, psychographed by Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.