Categorias
Espiritualidade

Nas sendas do mundo / On the paths of the world

“Não ajunteis tesouros na Terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem e onde os ladrões minam e roubam.” — JESUS — (Mateus, 6:19)

“Meus filhos, na sentença: “Fora da caridade não há salvação”, estão encerrados os destinos dos homens, na Terra e no Céu; na Terra, porque à sombra desse estandarte eles viverão em paz; no Céu, porque os que a houverem praticado, acharão graças diante do Senhor.” Cap. XV: 10.

Deus que nos auxilia sempre nos permite possuir, para que aprendamos também a auxiliar.

Habitualmente, atraímos a riqueza e supomos detê-la para sempre, adornando-nos com as facilidades que o ouro proporciona… Um dia, porém, nas fronteiras da morte, somos despojados de todas as posses exteriores e se algo nos fica será simplesmente a plantação das migalhas de amor que houvermos distribuído, creditadas em nosso nome pela alegria, ainda mesmo precária e momentânea, daqueles que nos fizeram a bondade de recebê-las.

Via de regra, amontoamos títulos de poder e admitimo-nos donos deles, enfeitando-nos com as vantagens que a influência prodigaliza… Um dia, porém, nas fronteiras da morte, somos despojados de todas as primazias de convenção e se algo fica será simplesmente o saldo dos pequenos favores que houvermos articulado, mantidos em nosso nome pelo alívio, ainda mesmo insignificante e despercebido, daqueles que nos fizeram a gentileza de aceitar-nos os impulsos fraternos.

Geralmente repetimos frases santificantes, crendo-as definitivamente incorporadas ao nosso patrimônio espiritual, ornando-nos com o prestígio que a frase brilhante atribui… Um dia, porém, nas fronteiras da morte, somos despojados de todas as ilusões e se algo nos fica será simplesmente a estreita coleção dos benefícios que houvermos feito, assinalados em nosso nome pelo conforto, ainda mesmo ligeiro e desconhecido, daqueles que nos deram oportunidade a singelos ensaios de elevação.

Serve onde estiveres e como puderes, nos moldes da consciência tranquila.

Caridade não é tão somente a divina virtude, é também o sistema contábil do Universo, que nos permite a felicidade de auxiliar para sermos auxiliados. Um dia, nas alfândegas da morte, toda a bagagem daquilo de que não necessites ser-te-á confiscada, entretanto, as Leis Divinas determinarão recolhas, com avultados juros de alegria, tudo o que destes do que és, do que fazes, do que sabes e do que tens, em socorro dos outros, transfigurando-te as concessões em valores eternos da alma, que te assegurarão amplos recursos aquisitivos no Plano Espiritual.

Não digas, assim, que a propriedade não existe ou que não vale dispor disso ou daquilo. Em verdade, devemos a Deus tudo o que temos, mas possuímos o que damos.

Espírito Emmanuel, do livro da Esperança, psicografado por Chico Xavier.


On the paths of the world

“Do not lay up for yourselves treasures on earth, where moth and rust consume and where thieves break in and steal.” — JESUS ​​— (Matthew, 6:19)

“My children, in the sentence: “Without charity there is no salvation”, the destinies of men, on Earth and in Heaven, are closed; on Earth, because under that banner they will live in peace; in heaven, for those who have practiced it will find favor with the Lord.” Chap. XV: 10.

God who helps us always allows us to possess, so that we also learn to help.

Usually, we attract wealth and we suppose to hold it forever, adorning ourselves with the facilities that gold provides… One day, however, on the borders of death, we are stripped of all external possessions and if anything remains, it will simply be the plantation. of the crumbs of love that we have distributed, credited in our name for the joy, even precarious and momentary, of those who were kind enough to receive them.

As a rule, we pile up titles of power and admit that we are the owners of them, adorning ourselves with the advantages that influence lavishes… One day, however, on the borders of death, we are stripped of all the primacy of convention and if anything remains, it will simply be the balance of the small favors that we have arranged, maintained in our name by the relief, even though insignificant and unnoticed, of those who have been kind enough to accept our fraternal impulses.

We usually repeat sanctifying phrases, believing them to be definitively incorporated into our spiritual heritage, adorning ourselves with the prestige that the brilliant phrase attributes… One day, however, on the borders of death, we are stripped of all illusions and if anything remains, it will simply the narrow collection of the benefits that we have made, marked in our name by the comfort, even light and unknown, of those who gave us the opportunity for simple elevation tests.

Serve wherever you are and however you can, along the lines of a clear conscience.

Charity is not only the divine virtue, it is also the accounting system of the Universe, which allows us the happiness of helping to be helped. One day, in the customs of death, all the luggage of what you don’t need will be confiscated from you, in the meantime, the Divine Laws will determine to collect, with huge interest of joy, everything you gave of what you are, what you do, what you know and what you have, in the aid of others, transfiguring your concessions into eternal values ​​of the soul, which will ensure you ample purchasing resources on the Spiritual Plane.

So do not say that property does not exist or that it is not worth having this or that. Truly, we owe to God all that we have, but we possess what we give.

Emmanuel Spirit, from the book of Hope, psychographed by Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.