Esperanças alheias

Quase sempre, concentramos alma e vida em nossas esperanças e, muito dificilmente, encontramo-nos a pensar nas esperanças alheias.
Exercita retirar-te das preocupações próprias, a fim de refletir nos anseios dos outros.
Talvez ainda não te conscientizastes de que onde estiveres e como estiveres podes iniciar o serviço mais propriamente endereçado a função dos anjos.
Não sei se já fixaste mais amplamente o homem triste que por vezes te cruza o caminho, perto de casa. Estranhas aquele semblante fechado de que debalde aguardas um leve sorriso, procura imaginar-lhe as esperanças. É um companheiro que tem a esposa paralítica e quatro crianças necessitadas de apoio.
Certamente, não dispões de meios para satisfazer-lhe todas as exigências.
Entretanto, dentre todas, possui ele um desejo dos mais simples. Quereria que o filhinho menor estivesse mais agasalhado no transcurso da noite.
Muito pouco te custará ofertar-lhe um cobertor, de modo a que se lhe realize o desejo. Atende-lhe ao coração e trarás, de novo, aquele rosto amargurado, a alegria que lhe jaz encarcerada no peito pelas algemas do desânimo.
Talvez ignores que aquela mulher de presença desagradável, por exprimir-se através de fraseado inconveniente, nos pede mais entranhada observação. Ela foi abandonada pelo companheiro que lhe deixou dois pequenos desprotegidos. Ainda sem trabalho que lhe assegure a sobrevivência, acha-se em vias de conturbar-se.
Evidentemente, não conseguirás sossegar-lhe todas as inquietações. No entanto, a maior de todas está no propósito de matricular o filho que conta sete janeiros de idade numa escola pública e podes claramente auxiliá-la nesse sentido. Faça isso e anotar-lhe-ás a gratidão que se lhe exteriorizará do próprio ser, em forma de simpatia.
E temos os outros muitos casos: aquele do doente que ficaria reconfortado com dez minutos de tua palavra estimulante; do menino que descobriria a felicidade numa fatia de bolo; do vizinho irritadiço que se modificaria para melhor com o teu sorriso de fraternidade e o daquele amigo trancado no desgosto doméstico a reclamar-te algumas frases de paz e otimismo que lhe tragam os sentimentos da sombra para a luz.
Aprende a sair de tuas preocupações para entender as esperanças alheias e mitigá-las, quanto puderes.
Então estarás servindo na missão dos anjos, encontrando a própria felicidade, porquanto, ao lado de cada criatura a quem te decidas a entregar migalhas de socorro, serás uma luminosa parcela da presença de Deus.

Meimei, do livro Deus Aguarda, psicografado por Chico Xavier

Por Jose Valim

Meu nome é José Valim, tenho 80 anos, e o meu objetivo é a divulgação da Doutrina Espírita Cristã.

Deixar um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.