Categorias
Espiritualidade

Confessar o Cristo

Desde a ascensão de Constantino ao poderio romano, milhões de criaturas hão confessado Jesus com os lábios.

Pregaram as Boas Novas da Salvação e arrojaram a Humanidade em vagas de sangue e morte.

Dominaram púlpitos brilhantes e estenderam aflição e discórdia.

Senhorearam a governança política e semearam penúria e destruição.

Escreveram livros primorosos e estabeleceram nas almas o império da crueldade e da sombra.

Teceram poemas de esperança e inflamaram fogueiras de intolerância e fanatismo.

Exaltaram a Luz Divina e alimentaram as trevas da ignorância.

Discursaram, enaltecendo o amor e plantaram espinheiros de guerra e ódio.

Misturaram o mel da palavra com o veneno da negação e criaram apenas calamidade e sofrimento, flagelações e ruínas…

É que não basta confessar o Senhor com o verbo fascinante e seguro, mantendo o coração longe Dele.

Não valem simples afirmações preciosas que a ventania renovadora do tempo extingue, implacável…

Confessar o Cristo é cristianizar nossa vida e viver-lhe os padrões de sacrifício e de amor.

Na luta externa e no campo íntimo, perguntemos a nós mesmos, como agiria o Senhor trazido ao nosso lugar e procedamos como procederia Jesus, na solução dos problemas que nos afrontam a vida.

Somente assim, com a força do próprio exemplo, conseguiremos revelar o Divino Mestre às outras almas e com Ele servir aos homens na construção da Terra melhor.

Espírito Emmanuel, do livro Construção do Amor, psicografado por Chico Xavier.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.