Velhinhos

Velhinhos

Apartados nos caminhos,
Passam velhos pobrezinhos
A sofrer, sem pão, sem lar…
Ao sabor da ventania,
Suportam a noite fria
A gemer e mendigar.

Choram à míngua de afeto,
Sem a carícia de um neto
No dias de solidão.
Foram jovens, entretanto…
São hoje estátuas de pranto,
De pobreza de aflição.

Olhando esse quadro amargo
Oh! Nunca passeis de largo,
Gargalhando e andando ao léu!
Dai-lhes o pão da bondade,
Que a bênção da caridade
Será vossa luz no Céu.

João de Deus (espírito), do livro Jardim da Infância,
psicografado por Chico Xavier

Por Jose Valim

Meu nome é José Valim, tenho 80 anos, e o meu objetivo é a divulgação da Doutrina Espírita Cristã.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.