Categorias
Espiritualidade

Ânsia Inútil

Luiz Delfino dos Santos
Luiz Delfino dos Santos

Regressando, encantado, de outras rotas
Em que a vida sublime se retrata,
Quisera repetir a serenata
Dos sóis, marcando sublimadas notas.

Ah! se eu pudesse descrever as frotas
Dos mundos de ouro pelos céus de prata
E o turbilhão da luz que se desata
De resplendentes amplidões remotas!…

Mas, singela e sombria, a lira estala,
Estraçalha-se o plectro da fala,
Embora o anseio que se me agiganta…

E, no incêndio que lavra no meu peito,
Somente encontro inútil verbo estreito
Que me estrangula as cordas da garganta.

Chico Xavier/Luiz Delfino dos Santos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.