Revoluções Gerais ou Parciais

1. Os períodos geológicos marcam as fases do aspecto geral do globo, em virtude das suas transformações. Mas, com exceção do período diluviano, que se caracteriza por uma subversão repentina, os demais transcorreram lentamente, sem transições bruscas. Ao longo do tempo que os elementos constitutivos do planeta levaram para se estabilizar, as mudanças devem ter sido gerais. Com a base consolidada, só devem ter se produzido modificações parciais na superfície.
2. Além das revoluções gerais, a Terra experimentou grande número de perturbações locais, que mudaram o aspecto de certas regiões. Como em relação às outras duas causas, contribuíram para essas perturbações o fogo e a água.
O fogo atuou quer produzindo erupções vulcânicas que, sob espessas camadas de cinzas e lavas, sepultaram os terrenos circunvizinhos, fazendo desaparecer cidades com seus habitantes, quer provocando terremotos e levantamentos da crosta sólida, que impeliam as águas para as regiões mais baixas quer enfim, pelo afundamento, em maior ou menor extensão, dessa mesma crosta, em alguns lugares, para onde as águas se precipitaram, deixando secos outros lugares. Foi assim que surgiram ilhas no meio do oceano, enquanto outras desapareceram; que porções de continentes se separaram e formaram ilhas; que braços de mar, secados, ligaram ilhas e continentes.
Quanto à água, essa atuou produzindo: ou a irrupção ou a retirada do mar em algumas costas; ou desmoronamentos que, interceptando as correntes líquidas, formaram lagos; ou transbordamentos e inundações; ou, finalmente, aterros nas embocaduras dos rios. Esses aterros, rechaçando o mar, criaram novos territórios. Tal a origem do delta do Nilo, do delta do Ródano ou Camarga (Região do Sul da França).

Topo
Índice
Início

Senda de paz

%d blogueiros gostam disto: