Homenagem à mulher

Mãe e filho
Homenagem à mulher

A mulher é delineada mais finamente que o homem, o que indica, naturalmente, uma alma mais delicada. É assim que nos meios semelhantes, em todos os mundos, a mãe será mais bela que o pai, por ser a que a criança vê primeiro. É para a figura Angélica de uma senhora moça que a criança volta incessantemente o olhar; é pela mãe que a criança enxuga as lágrimas e fixa o olhar fraco e incerto. A criança tem, assim, uma intuição natural do belo.
A mulher sabe principalmente fazer-se notada pela delicadeza de seus pensamentos, pela graça de seus gestos, pela pureza de suas palavras. Tudo que dela vem deve harmonizar-se com sua pessoa, que Deus fez bela.
Seus longos cabelos, ondulantes sobre o pescoço, são a imagem da doçura e da facilidade com que sua cabeça se dobra sem se partir sob as provas. Refletem a luza dos sóis, como a alma da mulher deve refletir a luz mais pura de Deus. Jovens, deixai vossos cabelos flutuantes: para isso Deus os criou. Parecereis, ao mesmo tempo, mais naturais e mais enfeitadas.
A mulher deve ser simples no vestir. Ela saiu muito bela das mãos do Criador para ter necessidade de atavios. Que o branco e o azul se unam sobre vossas espáduas. Deixai, também, que flutuem os vossos vestidos; que se vejam as vossas roupagens estender-se atrás de vós numa longa esteira de gaze, como leves nuvens, indicando imediatamente a vossa presença.
Mas o que representam os enfeites, o vestido, a beleza, os cabelos ondulados ou flutuantes, enrolados ou presos, se o sorriso tão doce das mães e das amantes não brilharem nos vossos lábios? Se os vossos olhos não semearem a bondade, a caridade e a esperança nas lágrimas de alegria que eles deixam correr, nos relâmpagos que se abrem desse braseiro de amor desconhecido?
Mulheres! Não temais deslumbrar os homens pela vossa beleza, por vossas graças, por vossa superioridade. Saibam, porém, os homens que, para se tornarem dignos de vós, devem ser tão grandes quanto sois belas, tão sábios quanto sois boas, tão instruídos quanto sois originais e simples. É necessário que saibam que vos devem merecer, que sois o prêmio da virtude e da honra não dessa honra que se cobre com um capacete e com um escudo e que brilha nas justas e nos torneios, com o pé sobre a fronte de um inimigo derrubado. Não, da honra segundo Deus.
Homens! Sede úteis; e quando os pobres abençoarem o vosso nome, as mulheres vos serão iguais. Então, formareis um todo; sereis a cabeça e elas o coração; sereis o pensamento benfeitor e elas as mãos liberais. Uni-vos, pois, não só para o amor, mas para o bem que podeis fazer a dois. Que os bons pensamentos e as boas ações realizadas por dois corações amantes sejam os elos dessa cadeia de ouro e diamantes chamada matrimônio. Então, quando os elos forem numerosos, Deus vos chamará para junto Dele e vós continuareis a ajuntar novos elos. Na Terra estes eram de metal pesado e frio; no céu serão de fogo e de luz.

Revista Espírita (Revue Spirite),
Allan Kardec, de dezembro de 1858

Libertação

Precioso entendimento

… – Não procures ser atendida em todos os teus desejos – falou a benfeitora suavemente, – mas procura servir, fraternalmente, a quantos te reclamem arrimo e braço forte.
Ajuda antes de procurares auxílio.
Compreende sem exigir compreensão imediata.
Desculpa os outros sem desculpar a ti mesma.
Ampara sem a intenção de ser amparada.
Dá sem o propósito de receber.
Não persigas o respeito humano que te faça aparecer melhor que és, mas busca, em todo tempo e lugar, a bênção divina na aprovação da própria consciência.
Não procures destacada posição, diante do outros; antes de tudo, aperfeiçoa os teus sentimentos, cada vez mais, sem propaganda de tuas virtudes vacilantes e problemáticas.
Age corretamente e esquece as frases vazias ou venenosas da maledicência contumaz.
Em te socorrendo das diretrizes alheias, desconfia das palavras que te lisonjeiem a fantasiosa superioridade pessoal ou que te inclinem à dureza de coração.
Diante da fartura ou da escassez, recorda o serviço que o Senhor te convocou a realizar e produze o bem em seu nome, onde estiveres.
Lembra-te de que a experiência na carne é demasiadamente breve e que a tua cabeça deve permanecer tão cheia de ideais santificantes, quanto as mãos repletas de trabalho salutar.
Para que atendas, porém, a semelhante programa, é imprescindível abras o coração ao sol renovador do Sumo Bem.
De alma cerrada ao interesse pela felicidade do próximo, jamais encontrarás a própria felicidade.
A alegria que improvisares, em torno dos pés alheios, te fará mais rica de júbilo.
Na paz que semeares, encontrarás a colheita da paz que desejas.
Estes são princípios da vida radiante.
No insulamento ninguém recolherá a suprema alegria.
Para a sabedoria divina, tão infortunado é o pastor que perdeu o rebanho, quanto a ovelha que perdeu o pastor. A desistência de ajudar é tão escura quanto o relaxamento de extraviar-se.
O egoísmo conseguirá criar um oásis, mas nunca edificará um continente.
É indispensável, Margarida, aprenderes a sair de ti mesma, auscultando a necessidade e a dor daqueles que te cercam.
Nesse ínterim, calou-se a voz da protetora e, sentido-se banhada na infinita luz daqueles momentos inesquecíveis, a esposa de Gabriel indagou, embriagada de ventura:
– Ó Deus! Pai Misericordioso, a que devo atribuir a graça inolvidável desta hora? …

Trecho do capítulo 19, do livro Libertação.

Mau humor crônico

 

Se você amanhece de mau humor, antes que o flagelo se instale de todo na sua cabeça e na sua voz, comece o dia rogando à Divina Bondade o socorro providencial de uma laringite”
André Luiz, em O Espírito da Verdade.

O mau humor crônico é um sério problema que toma conta da maioria da população mundial. Andar de mal com tudo, dar patadas em todos, respostas agressivas, achar a vida sem graça e viver insatisfeito tem sido o dia-a-dia de inúmeras pessoas, causando sérios danos à sua saúde.

Segundo o psiquiatra José Antonio Amaral, do Grupo de Estudos de Doenças Afetivas, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, de São Paulo, “episódios de mau humor ou irritabilidade eventualmente ocorrem até várias vezes no mesmo dia e essas mudanças refletem-se em nossa química interna”.

Quando essa fase de mau humor deixa de ser uma fase e passa a ser uma constante em nossas vidas (mau humor crônico), dá-se início a uma doença caracterizada por irritabilidade e infelicidade eterna, denominada distimia.

O que preocupa sobremaneira as autoridades médicas é que os distímicos chegam a somar cerca de 240 milhões no mundo e 15% deles tentam o suicídio. Pesquisas comprovam o fato. Segundo estudo realizado no ano de 2000, no hospital da Faculdade de Medicina da USP, foi constatado que 43% dos moradores de dois bairros da capital paulista tinham propensão a desenvolver a distimia em algum momento da vida.

O distímico só enxerga o lado negativo do mundo e não sente prazer em nada. A diferença entre o resto dos mal-humorados é que os últimos reclamam de um problema, mas param diante da resolução. É preciso tomar muito cuidado com esse estado de eterno mau humor, porque ele pode levar-nos a uma depressão grave, doenças cardíacas e a um AVC.

Do ponto de vista espiritual, quando estamos vulneráveis a esses estados de negativismo, atraímos inúmeros espíritos que se afinam conosco, levando-nos às obsessões.

A busca das soluções para o problema do mau humor está em nós mesmos, e identificá-lo também. Porém devemos tomar alguns cuidados e providências para não chegar a casos extremos. Devemos respeitar nosso ritmo de vida para não entrar em estresse e aproveitar ao máximo o contato com a natureza.

Alimentar-nos saudavelmente e praticar esportes também é de grande ajuda, pois a resposta emocional depende da liberação de neurotransmissores do cérebro. Os alimentos e a atividade física estimulam a produção de alguns deles, causando sensação de bem-estar.

Outro ponto muito importante é sermos otimistas diante da vida. Pequenos problemas só atingem mentes pequenas. Devemos sorrir mais, pois a melhor maneira de afugentar o mau humor pode ser simplesmente sorrir.

O filósofo alemão Emmanuel Kant dizia: “Para compensar a miséria humana Deus proveu o homem de três dons: o sono, o sorriso e a esperança”.

Transcrito da Folha Espírita de março de 2005

 

Padrão vibratório

O padrão vibratório de uma casa “tem relação direta com a energia e o estado de espírito de seus moradores”. Tudo o que pensamos e fazemos, as escolhas, os sentimentos, sejam bons ou ruins, SÃO ENERGIAS. O resultado “reflete nos ambientes, pessoas e situações”. O corpo é nossa primeira morada e nossa casa, sua extensão. É ela que nos acolhe, protege e guarda nossa história. Da mesma forma que limpamos, nutrimos e cuidamos da vibração de nosso corpo, devemos estender esses cuidados e carinhos ao lar. Mais que escolher o imóvel e enfeitá-lo com móveis e objetos – muitas vezes guiados apenas por modismos ou pura praticidade -, a elaboração da atmosfera de um ambiente é importante porque reflete a personalidade de seu dono, dando pistas sobre seus gostos, estilo de vida, história e sonhos. Há quem acredite que, colocando cristais, sinos de vento, fontes, espelhos, instrumentos do feng shui, é possível atrair bons fluídos e equilíbrio para dentro de casa. “Mas, é MUITO POUCO, pois a personalidade de um ambiente vai além. Ela é conseguida dia após dia, não apenas com técnicas, mas com pequenos atos de carinho e com muita energia boa”. Além de atrair bons fluídos para nosso lar, temos todas as condições de criá-los no interior do próprio ambiente. O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores fica impregnado no ambiente, criando o que se chama de egrégora. Você, com certeza, já esteve em uma residência ou ambiente onde sentiu um profundo bem-estar e sensação de acolhimento, independe da beleza, luxo ou qualquer outro fator externo. Essa atmosfera gostosa, sem dúvida, era dada principalmente pelo estado de espírito positivo de seus moradores. Infelizmente, hoje em dia, é muito mais corriqueiro entrarmos em ambientes que nos oprimem ou nos dão a sensação de falta de paz e, às vezes, até de sujeira, mesmo que a casa esteja limpa. A vontade é ir embora rapidamente, “ainda que sejamos bem tratados”. O que “poucos sabem” é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de seus moradores. Por isso, quando pensar na saúde energética de sua casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé. Evite brigas e discussões desnecessárias. “Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão”. Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de seus objetos e entes queridos com carinho. Não pense mal dos outros. Pragas, NEM PENSAR! Selecione muito bem as pessoas que vão frequentar sua casa. Festas, brindes e comemorações alegres são bem-vindos porque trazem alegria e muita energia, mas cuidado com os excessos. Nada de bebedeiras e muito menos uso de drogas, que atraem más energias. Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda para limpar essas energias densas de seu coração. Lembre-se que sua casa também pode estar contaminada. Aprenda a fazer escolhas e determine o que quer para sua vida e ambiente onde mora. Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo? Reflita sobre como você vive em sua casa, no que pensa, como anda seu humor e reclamações do seu dia-a-dia. Tudo isto interfere no seu astral.

Franco Guizzetti.

“Compartilhar e-mails com mensagens positivas é colaborar com a disseminação da luz, abrindo corações, despertando consciências, contribuindo assim, para a transformação planetária.”

Seja feliz, perdoe

Quem feriu você já feriu e já passou. Lá na frente encontrará o inevitável retorno e pelas mãos de outrem será ferido também.
A Vida se encarregará de dar-lhe o troco e você, talvez, jamais fique sabendo.
O que importa de verdade é o que você sentiu e, mais importante, é o que ainda você sente:
Mágoa? Rancor?
Ressentimento? Ódio?
Você consegue perceber que esses sentimentos foram escolhidos por você?
Somos nós que escolhemos o que sentir diante de agressões e de ofensas.
Quem nos faz o mal é responsável pelo que faz, mas NÓS somos responsáveis pelo que sentimos.
Essa responsabilidade tem a ver com o Amor que devemos e temos que sentir por nós mesmos.
O ofensor fez o que fez e o momento passou, mas o que ficou aí dentro de você?
Mágoa:
– Você sabia que de todas as drogas ela é a mais cancerígena?
Pela sua própria saúde, jogue-a fora.
Rancor:
– Ele é como um alimento preparado com veneno irreconhecível: dia mais, dia menos, você poderá contrair doenças de cujas origens nem suspeitará.
Ressentimento:
– Pois imagine-se vivendo dentro de um ambiente constantemente poluído, enfumaçado, repleto de bactérias e de incontáveis tipos de vírus: é isso que seu coração e seus pulmões estão tentando agüentar. Até quando você acha que eles vão resistir?
Ódio:
– Seus efeitos são paralisantes. Seu sistema imunológico entrará em conflito com esse veneno que com o tempo poderá colocar você face a face com a morte e talvez muito tarde você venha a perceber que melhor seria ter deixado que seu agressor colhesse os frutos do próprio plantio.
Por seu próprio Bem e pelo seu Bem, perdoe.
O perdão o libertará e o fará livre para ser feliz. Esqueça o mal que lhe foi feito. Deixe que seu ofensor lembre-se dele através das conseqüências com que, certamente, virá a arcar.
Mude seu destino … seja o comandante da sua nau!
Escolha o melhor caminho para sua “viagem”
E se outras vezes o ferirem, perdoe …
Perdoe … Como Cristo perdoou os que o crucificaram.
Que DEUS, em sua infinita bondade,
Cubra você e sua família de muita Paz,
Saúde e Prosperidade…

Vacina contra a depressão

Livro
Livro

Lendo e estudando sobre a depressão trazemos aqui uma súmula dos meios de prevenir essa patologia, mais mental do que física, que traz sérios prejuízos para a vida social e espiritual do ser humano.
Citamos vários itens que podem evitar a depressão:
RELIGIOSIDADE: O estudo de uma religião esclarecida traz a conformação, o sentimento de fraternidade e perdão. Ajuda a aceitação de doenças, deficiências e morte de entes queridos. Sabendo que tudo é temporário e que nenhuma dor, carência, deficiência ou doença é eterna, torna-se mais fácil a vivência na terra.
PERDA DO ORGULHO: A criatura com orgulho acentuado possui muita abertura para a depressão. Ofende-se facilmente, isola-se das pessoas com quem não se afina e sente-se vítima do mundo sem nunca praticar a auto análise necessária para um maior entendimento das situações. A humildade não nos dá brechas para ofensas ou mágoas inúteis.
PERDA DO EGOCENTRISMO: Pessoas muito centradas em si mesma, sofrem demasiadamente quando não recebe atenção que acha que merece. Criança ou jovem muito mimados não conseguem aceitar a indiferença do mundo aos seus desejos. Esta é uma das grande causadora dos estados depressivos.
Quando direcionamos nossas atenções aos outros sentimo-nos felizes ao sermos úteis e esquecemos das próprias dores.
TRABALHO: A mente ocupada num trabalho que traz prazer e recompensa (mais emocional do que financeira) não dá abertura para se deprimir.
OTIMISMO: Um dos melhores fatores antidepressivo é o otimismo, porque a criatura observa o mundo que a rodeia de forma sempre positiva o que impede que nasçam, em si, focos de baixo estima, que gera a depressão.
PERDÃO: O ato de perdoar não é apenas uma recomendação religiosa, é mais uma atitude terapêutica e preventiva contra males maiores do que o mal recebido. O esquecimento do mal é atividade de um coração generoso. Perdoar a si mesmo é entender que errar faz parte do crescimento, é aceitar a sua condição humana.
ACEITAÇÃO: Aceitar o que é inevitável na vida, como a morte de um ser querido,perda da juventude; deficiência física ou invalidez.
Também mudança de nível social, de ambiente etc. A aceitação é também compreensão que tudo que acontece ao nosso redor é instrumento para amadurecimento espiritual.
FÉ: Quem possui muita fé em si mesmo e em Deus possui a maior vacina contra a depressão pois ela é o oposto de todos os sintomas que trazem a doença.
Enfim, todo sofrimento do homem tem origem no afastamento de sua luz interior. Quando Deus fica longe de nossa vida, ficamos afastados da alegria de viver.
Portanto,busque o auxilio divino, e não se esqueça do terapeuta…
Busque a felicidade. Você merece!

Da PPS formatada por: raquelfogo@hotmail.com

Pense nisso

Chuva
Chuva

Você já experimentou, alguma vez, aquele amanhecer sombrio, em que tudo lhe parece amargo?
Esses dias aparentemente têm os mesmos aspectos para todos nós, mas são vividos de maneira diferente por cada indivíduo.
Alguns ficam tristes e quase calados. Buscam isolar-se para evitar qualquer contato com alguém que lhes faça perguntas sobre o que está acontecendo, porque está assim, etc.
Outros deixam o mau humor dirigir seus passos e, em poucos minutos azedam todo o ambiente em que se encontram. Distribuem gestos bruscos, falam com irritação, respondem com azedume, culpam os outros por tudo de errado que acontece.
E a resposta para comportamentos desse tipo, logo se faz sentir no organismo, em forma de azia, enxaqueca, dores musculares, entre outros males.
E o pior de tudo, é que nem sabemos o porque de tanta irritação. Não paramos um pouco para meditar sobre a situação em que nos encontramos nem para mudar o curso dos acontecimentos.
De maneira irrefletida, estragamos o nosso dia movidos por um estado d´alma que nos toma de assalto e no qual nos deixamos mergulhar, sem refletir.
Passados esses momentos amargos, fica uma desagradável sensação de mal estar, de indisposição, de sentimentos feridos, de relacionamento comprometido.
Assim, se você sentir que está diante de uma manhã sombria, de um momento amargo, vale a pena tomar medidas urgentes para não se deixar cair nas armadilhas.
Se ainda está em casa, faça uma prece antes de sair.
Se estiver no trabalho, busque um local que lhe permita ficar só por um instante, respire fundo, e eleve o pensamento a Deus, rogando forças e discernimento para não se deixar levar por circunstâncias desagradáveis.
Lembre-se, sempre, que todos temos momentos difíceis, e que só depende de nós complicá-los ainda mais, ou sair deles com sabedoria e bom senso.
Lembre-se, ainda, que por mais difícil que esteja a situação, ela será tragada pelas horas e substituída por momentos mais leves e mais felizes.
Por essa razão, nunca valerá a pena estragar o seu dia.
Pense nisso!

“Não estrague o seu dia.
A sua irritação não solucionará problema algum.
As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas.
Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
O seu mau humor não modifica a vida.
A sua dor não impedirá que o sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus.
A sua tristeza não iluminará os caminhos.
O seu desânimo não edificará a ninguém.
As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade.
As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você.
Não estrague o seu dia.
Aprenda, com a Sabedoria Divina, a desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre para o infinito Bem.”

André Luiz