Bilhete amigo

Meu Irmão.
Ninguém espera te transformes num milionário ou num santo para que o bem te ilumine o coração e dirija os passos.
Sublime é a caridade que se transforma em reconforto.
Divina é a caridade que se converte em amor irradiante.
De sementes minúsculas, procedem às árvores gigantescas que sustentam a vida.
Evita falar de ti mesmo.
Cumpre o dever que te cabe, sem intromissão nas tarefas alheias.
Não provoques o elogio no desempenho de tuas obrigações.
Não te prendas a ninharias, quando o benefício geral te reclame a colaboração.
Perdoa sem alarde as ofensas.
Não te encarceres na indisciplina.
Aprende a ouvir com serenidade as palavras ingratas ou contundentes, para que a irritação não perturbe os outros, através de tuas energias descontroladas.
Esquece todo mal.
Procura, cada dia, uma nova oportunidade de ser útil.
Abstém-te das conversações maliciosas ou indignas.
Não partilhes o triste banquete da leviandade ou da calúnia.
Compadece-te dos ausentes e ajuda-os com o verbo cristão.
Escuta com calma quem te procura, trazendo inquietação ou veneno.
Nunca olvides que, se, muitas vezes, nos arrependemos de haver falado, ninguém padece remorso por haver preferido o silêncio.
Ora por quem te persegue ou não compreende.
Emite bons pensamentos para todos os que te cercam.
Não te furtes aos serviços humildes, quais sejam os do copo d’água, da palavra estimulante, do sorriso amigo, da limpeza gratuita, da gentileza anônima, da bondade prestimosa e desconhecida.
Da caridade divina, que exterioriza a claridade santificante do exemplo, pode participar todo irmão de ideal evangélico, ainda mesmo aquele que se declara absolutamente sem tempo e sem dinheiro para o exercício do bem.
Usa, cada hora, o gesto espontâneo da fraternidade imperceptível e os teus singelos depósitos, aparentemente insignificantes, capitalização, em teu benefício, um tesouro de glórias no Céu.

Emmanuel

Cristo em casa

Se desejas extinguir
A sombra que aflige e atrasa
Não olvides acender
A luz do Evangelho em casa.

Quando possível nas horas
De doce união no lar,
Estende a Lição Divina
Ao grupo familiar.

Na chama viva da prece
O culto nobre inicia
Rogando discernimento
A eterna sabedoria.

Mentiras da vaidade
Velhos crimes da avidez,
Calúnia e maledicência
Desaparecem de vez.

Serpentes envenenadas
De orgulho torvo e escarninho,
Sob o clarão da Verdade
Esquecem-nos o caminho.

Dificuldades e provas
Na dor amargosa e lenta
São recursos salvadores
Com que o Céu nos apascenta.

Logo após, lê meditando
O texto Renovador
Da Boa Nova Sublime
Que é fonte de todo Amor.

Verás a tranquilidade
Vestida em suave brilho,
Irradiando esperança
Em todo o teu domicílio.

Ante a palavra do Mestre
Generosa, clara e boa,
A experiência na Terra
É luta que aperfeiçoa.

E o trabalho por mais rude
No campo de cada dia
É dádiva edificante
Do bem que nos alivia.

É que na bênção do Cristo
Clareia-se-nos a estrada,
E a nossa vida ressurge
Luminosa e transformada.

Conduze, pois, tua casa
À inspiração de Jesus.
E o Evangelho em tua mesa
É pão da Divina Luz.

Casimiro Cunha Psicografia de Chico Xavier

Comportamentos disfuncionais causados pela Raiva

Coisas que nós fazemos quando estamos com raiva normalmente são disfuncionais e podem ter consequências graves na nossa vida pessoal e profissional.
O que nós costumamos fazer quando ficamos com raiva?
Nada
Às vezes, nós evitamos lidar com o problema e acabamos não fazendo nada. Podemos ficar incomodados quando os outros tentam discutir a situação conosco. Normalmente os sentimentos de raiva ficam engarrafados dentro de nós e saem intensificados em outro momento, muitas vezes acompanhados por outros sentimentos como ressentimento ou culpa…
Leia mais: Comportamentos disfuncionais causados pela Raiva

Jesus no lar

O culto do Evangelho no Lar aperfeiçoa o homem.
O homem aperfeiçoado ilumina a família.
A família iluminada melhora a comunidade.
A comunidade melhorada eleva a nação.
O homem evangelizado adquire compreensão e amor.
A família iluminada conquista entendimento e harmonia.
A comunidade melhorada produz trabalho e fraternidade.
A nação elevada orienta-se no direito, na justiça e no bem.
Espiritismo sem Evangelho é fenômeno ou raciocínio.
O fenômeno deslumbra. O raciocínio indaga.
Descobrir novos campos de luta e pensar em torno deles não expressa tudo.
Imprescindível conhecer o próprio destino.
Não basta, pois, a certeza de que a vida continua infinita, além da morte.
É necessário clarear o caminho.
Do Evangelho no lar, depende o aprimoramento do homem.
Do homem edificado em Jesus Cristo depende a melhoria e a redenção do mundo.

Emmanuel

O destino

Destino e livre-arbítrio sempre coexistem nas atividades humanas. O Criador Infalível estabelece a Vida Universal. O homem falível traça os roteiros da vida que lhe é própria.
O Pai organiza as leis eternas. O filho vale-se das experiências. Não há fatalidade para o mal e sim destinação para o bem. É por isso que a todas as criaturas foi concedida a bênção da razão, como luz consciencial no caminho.
Se o Senhor Supremo estatui diretrizes e recomenda aos homens a execução dos princípios formulados, o homem é compelido a cooperar em sua obra divina.
De desobediência da alma aos supremos desígnios procedem às desarmonias no serviço universal. E quanto maior a expressão de entendimento no espírito rebelde, mais agravo da responsabilidade caracteriza a intervenção indébita do colaborador humano que abusa da magnanimidade das Leis Divinas. Quanto maior a capacidade do discernimento, mais vasto o débito.
Que a alma encarnada, pois, compreenda o transcendentalismo das divinas concessões e desempenhe os deveres que lhe competem no caminho diário. Ninguém fugirá ao doloroso trabalho individual de recomposição dos elos quebrados na corrente da universal harmonia. Cada devedor será defrontado pela própria dívida, agora ou mais tarde, atentos à realidade de quem nem todas as sementes produzem frutos dentro de alguns dias ou de algumas semanas. Se os minúsculos grãos de vida dos legumes oferecem resultados em alguns dias, plantas existem que só fornecem a multiplicação de valores no curso de longos anos. Assim, nossos atos e compromissos. Nem todos proporcionam efeito sem tempo breve. Daí a necessidade dos indivíduos e dos agrupamentos quanto à real observação da vigilância no círculo de si mesmos.
O Pai concede a bênção da oportunidade. Mas ao filho encontra-se afeta a cooperação.
Há, portanto, leis que regem a vida e, consequentemente, destinação de homens e coletividades a essa ou àquela tarefa, a esse ou àquele trabalho nas edificações da experiência humana; entretanto, nesse campo, permanece o homem – colaborador de Deus – com a sua capacidade de execução e também de influenciação ou interferência.
Que todos nós, portanto, usando os sagrados dons da liberdade interior, colaboremos com o Pai no maior engrandecimento de sua obra, a fim de que, no esplendoroso amanhã do futuro, venhamos a integrar as fileiras dos servidores fiéis, a caminho da justa e real glorificação na Eternidade.

Emmanuel

Trabalha e serve

“Filho vai trabalhar hoje na minha vinha”. – Jesus, (Mateus, 21:28).
Não te esqueças do ensinamento do Mestre: – “Filho vai trabalhar hoje na minha vinha”.
Se a dor te visita o coração, improvisando tempestades de lágrimas em teu campo interior, não te confies ao incêndio do desespero, nem ao gelo da lamentação.
Recorda o tesouro do tempo, retira-te da amargura que te ocupa, indebitamente, e trabalha servindo.
O trabalho é um refúgio contra as aflições que dominam a alma.
O serviço aos semelhantes gera valoroso otimismo.
Se a incompreensão te impôs férrea grade ao espírito, através da qual ninguém, por agora, te identifica o ideal ou aos propósitos elevados não te demores acariciando o fel da revolta.
Lembra o favor sublime do tempo, trabalha e serve.
O trabalho acrescenta as energias. O serviço a todos revele divina sementeira.
Se a calúnia chegou ao teu círculo, estendendo sombras tenebrosas, não te afundes no lago fervente do prato, nem te embrenhes na selva do sofrimento inútil.
Reflete na bênção das horas, trabalha e serve.
O trabalho reconforta. O serviço aos outros anula os detritos do mal.
Se erraste, instalando escuro remorso no centro do próprio ser, não te cristalizes na inércia e nem te enlouqueças, soluçando e gemendo em vão.
Medita na glória dos minutos, trabalha e serve.
O trabalho reajusta as forças do espírito. O serviço ao próximo reconquista o respeito e a serenidade perante a vida.
Se a enfermidade e a morte varrem-te a casa, não te relegues ao acabrunhamento, qual se foras um punhado de lixo.
Pense na dádiva dos dias, trabalha e serve.
O trabalho é uma esponja bendita sobre as mágoas do mundo. O serviço no bem de todos é um milagre renovador.
Na luta e na tranquilidade, no sofrimento e na alegria, na tristeza ou na esperança, segue agindo e auxiliando.
Trabalhar é produzir transformação, oportunidade e movimento.
Servir é criar simpatia, fraternidade e luz.

Emmanuel

Paradoxo do Nosso Tempo

Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.
Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do “fast-food” e da digestão lenta; do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas “mágicas”.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar “delete”.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão aqui para sempre.
Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer.
Lembre-se de dizer “eu te amo” à sua companheira (o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame… se ame muito.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.
Por isso, valorize sua família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre.

George Carlin, mensagem recebida em 2011.