Início

Bem-vindo ao Site Espírita

Allan Kardec e sua esposa Amelie Boudet

Allan Kardec

Hippolyte Léon Denizard Rivail foi um influente educador, autor e tradutor francês. Sob o pseudônimo de Allan Kardec, notabilizou-se como o codificador do espiritismo.

Nascimento: 3 de outubro de 1804, Lyon, França
Falecimento: 31 de março de 1869, Paris, França
Cônjuge: Amélie Gabrielle Boudet (de 1832 a 1869)
Pais: Jeanne Louise Duhamel e
Jean-Baptiste Antoine Rivail

Mais sobre Allan Kardec em Wikipedia


Posts recentes

Cidade de Cesareia

Degraus da vida

Comparemos o mundo a grande instituto de ensino.Aceita a existência no Planeta, por estágio educativo de que necessitas, ainda mesmo quando te reconheças na condição de doente, sob regime de internação em alguma das enfermarias da escola.Nasceste no lugar mais indicado aos ensinamentos de que precisas e no grupo familiar que mais se te aconselha…

Continue lendo
Chuva neblina

Compreensão sempre

Para superar aflições e constrangimentos em qualquer circunstância, é preciso, antes de tudo, compreender as pessoas e as situações difíceis que apareçam, capazes de inclinar-nos para a sombra da angústia.Alcançar o entendimento, no entanto, demanda o exercício da fraternidade constante.Quando a prova surja à frente, asserena-te e reflete.Se os empreiteiros da perturbação estivessem conscientizados quanto…

Continue lendo
Obstáculos

Aceitar e Renovar

Aceitarás a dificuldade, não por fardo de aflição que te arrase as energias, mas por ensinamento que te habilite a mais ampla aquisição de experiência.Não te rebelarás contra a enfermidade…Saberás, no entanto, afastá-la com os recursos curativos de que disponhas, imitando o devotamento do lavrador que protege a enxada em cuja cooperação encontra o pão…

Continue lendo

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Chico Xavier e Emmanuel

Chico Xavier e Emmanuel

Lembro-me de que, em 1931, numa de nossas reuniões habituais, vi a meu lado, pela primeira vez, o bondoso Espírito Emmanuel.
Eu psicografava, naquela época, as produções do primeiro livro mediúnico, recebido através de minhas humildes faculdades e experimentava os sintomas de grave moléstia dos olhos.
Via-lhe os traços fisionômicos de homem idoso, sentindo minha alma envolvida na suavidade de sua presença, mas o que mais me impressionava era que a generosa entidade se fazia visível para mim, dentro de reflexos luminosos que tinham a forma de uma cruz.
Às minhas perguntas naturais, respondeu o bondoso guia:
Leia mais


Novos posts na sua caixa de entrada