Início

Bem-vindo ao Site Espírita

Allan Kardec e sua esposa Amelie Boudet

Allan Kardec

Hippolyte Léon Denizard Rivail foi um influente educador, autor e tradutor francês. Sob o pseudônimo de Allan Kardec, notabilizou-se como o codificador do espiritismo.

Nascimento: 3 de outubro de 1804, Lyon, França
Falecimento: 31 de março de 1869, Paris, França
Cônjuge: Amélie Gabrielle Boudet (de 1832 a 1869)
Pais: Jeanne Louise Duhamel e
Jean-Baptiste Antoine Rivail

Mais sobre Allan Kardec em Wikipedia


Posts recentes

Oremos

Senhor!Não te pedimos a isenção das provas necessárias, mas apelamos para tua misericórdia, a fim de que as nossas forças consigam superá-las. Não te rogamos a supressão dos problemas que nos afligem a estrada; no entanto, esperamos o apoio do teu amor, para que lhes confiramos a devida solução com base em nosso próprio esforço.…

Continue lendo

Seara Espírita

“Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se colhem figos no espinheiro, nem uvas nos abrolhos”. Jesus – Lucas 6:44. “É assim, meus irmãos, que deveis julgar examinando as obras. Se os que se dizem investidos de poder divino revelam sinais de uma missão de natureza elevada, isto é, se possuem…

Continue lendo

Trabalhar sempre

Ociosidade não é somente estagnação do progresso.Necessário auscultar-lhe as desvantagens profundas.Não será preciso, para isso, recorrer aos elementos de poesia e retórica. Basta consultar o cadastro da vida. Certamente que a vida exige o esforço da impressão, mas, acima de tudo, o esforço da ação.Cada espírito é chamado a aprender, a fim de exprimir-se, e…

Continue lendo

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.


Chico Xavier e Emmanuel

Chico Xavier e Emmanuel

Lembro-me de que, em 1931, numa de nossas reuniões habituais, vi a meu lado, pela primeira vez, o bondoso Espírito Emmanuel.
Eu psicografava, naquela época, as produções do primeiro livro mediúnico, recebido através de minhas humildes faculdades e experimentava os sintomas de grave moléstia dos olhos.
Via-lhe os traços fisionômicos de homem idoso, sentindo minha alma envolvida na suavidade de sua presença, mas o que mais me impressionava era que a generosa entidade se fazia visível para mim, dentro de reflexos luminosos que tinham a forma de uma cruz.
Às minhas perguntas naturais, respondeu o bondoso guia:
Leia mais


Novos posts na sua caixa de entrada