Se Fosses

Quem de nós não terá errado algum dia?
Quantas vezes teremos pedido desculpas àqueles a quem ofendemos, rogando ao mesmo tempo, o amparo da Misericórdia Divina?
Talvez estejas sofrendo com a deserção de um companheiro;
Com os desequilíbrios de um filho ou de uma filha profundamente amados;
Com os golpes de um amigo repentinamente transformado em agressor;
Ou com o delito perpetrado por alguém contra as criaturas que amas…
Entretanto, não sabemos ainda medir o poder das forças negativas enxertadas na mente dos nossos irmãos que se marginalizam nas sombras.
Imagina-te no lugar dos companheiros errados.
Pensa em ti como se fosse a pessoa contra a qual se te volta o ressentimento e aprenderás quanto valem a tolerância e o perdão.

Chico Xavier/ Emmanuel, em Recados do Além

Deus Vigia

Nas grandes provações, não te afastes da fé.
Nos pequenos contratempos, cultiva a paciência.
Agradece à Divina Bondade a bênção de cada dia.
Trabalhe sempre.
Serve, desinteressadamente, aos outros, quando puderes.
Esquece injúrias e ofensas.
Não lastimes o passado.
Não censures a ninguém.
Segue sempre para diante e não temas.
Deus Vigia.

Chico Xavier/ Emmanuel

O Pastor

O pastor aproximou-se do Divino Mestre e perguntou:
– Senhor, deste-me o rebanho para guardar. Que farei da ovelha doente, quando não possa seguir-nos?
– Carregarás a ovelha doente, junto de teu próprio coração, poupando-lhe esforço.
– E se a ovelha foge? Como proceder, quando vejo alguma a transviar-se, correndo para os matagais, como se nos detestasse o caminho? Devo deixar o rebanho, a fim de buscá-la?
– Não te aflijas, respondeu-lhe o Senhor: Confia na Divina Providência. Se alguma ovelha fugir, não abandones o rebanho no intuito de procurá-la. Segue com paciência para diante, porque Deus já te concedeu o servidor que a trará de volta.
– Quem, Senhor? Quem fará isto por mim?
O Mestre endereçou a todo o rebanho um sorriso de bênção e rematou:
– Não te esqueças de agradecer a tarefa que Deus reservou ao teu cão.

Chico Xavier/Emmanuel

Imortalidade

Imortalidade

Quando o suicida acordou no Mais Além, trazendo a chaga em sangue que abrira em si mesmo, gritou espantado para os Céus:
Meu Deus, meu Deus, onde a morte em que entrei?
Uma voz, porém, lhe respondeu aos ouvidos da consciência profunda:
Meu filho, sairás da morte, tantas vezes quantas forem necessárias, mas da vida, jamais.

Chico Xavier/ Emmanuel