Natureza

A Natureza é o livro de páginas vivas e eternas. É sempre o celeiro abençoado de lições maternais. Em seus círculos de serviço, coisa alguma permanece sem propósito, sem finalidade justa. Prefácio de Emmanuel, Livro Cartilha da Natureza

Boca

Bocas reunidas na exaltação do mal se assemelham a caixotes de lixo, vazando bacilos de delinquência e de segregação espiritual. André Luiz, em Instruções Psicofônicas É imprescindível vigiar a boca, porque o verbo cria, insinua, inclina, modifica, renova ou destrói, por dilatação viva de nossa personalidade. Emmanuel, em Vinha de Luz