No Plano dos Inimigos

Eu porém vos digo: Amai os vossos inimigos… – Jesus (Mateus, 5: 44)
O ofensor apareceu diante de ti à maneira de um teste de aprimoramento moral.
Injuriou-te o nome.
Zombou-te dos brios.
Gritou-te ameaças.
Golpeou-te os sentimentos.
Desafiou-te a capacidade de tolerância.
Apedrejou-te os ideais.
Escarneceu-te dos propósitos.
Torturou-te o pensamento.
Disse Jesus: “Ama os teus inimigos”, mas não recomendou que os tomássemos por modelos de serviço e conduta, quando os nossos opositores se afeiçoem ao mal.
Mentaliza um homem estirado no charco. É razoável lhe estendas a mão, no fito de socorrê-lo; entretanto, nada justiça te afundes, por isso, conscientemente no barro.
É preciso salvar as vítimas do incêndio, mas a vida não te pede o mergulho desamparado nas chamas.
O adversário é sempre alguém digno do auxílio ao nosso alcance, mas nem sempre, com desculpas de amor, devemos fazer aquilo que ele estima fazer.

Emmanuel, psicografia de Chico Xavier

Louvemos o Bem

Saudai a todos os vossos guias, bem como a todos os santos. – Paulo (Hebreus, 13: 24)
Ante a dificuldade inconteste para servir à Causa do Bem e da Verdade, entre os problemas do mundo, imitemos os espíritos corajosos que nos abrem caminho.
Louvemos os que tiveram suficiente valor para aceitar a humilhação de si mesmos a fim de serem fiéis à própria consciência; os que recusaram vantagens materiais para não conluiarem com o erro; os que atravessaram longa existência dedicados a melhorar as condições dos seus semelhantes; os que renasceram em dolorosas provações no veículo físico e não permitiram que a dor lhes suprimisse a quota de serviço à comunidade; os que sofreram a morte prematura a fim de que a ciência avançasse sobre trilhas corretas; e aqueles outros que suportaram perseguições e calúnias por amor aos seus irmãos, sem abandonar a tarefa que o Senhor lhes confiou, quando poderiam ter fugido!…
A eles devemos todos os bens que desfrutamos na Terra, nos domínios da lei e da cultura, da civilização e do progresso! Eles foram homens e mulheres que lutaram e choraram, entre obstáculos e paixões semelhantes aos que nos marcam a vida; entretanto obedeceram, mais cedo que nós, às leis do Senhor e ainda agora nos esclarecem que, por cima de nossos corações – por enquanto chumbados ao magnetismo do Planeta – brilham os caminhos do futuro, rasgados de horizonte a horizonte nos céus abertos, através dos quais, um dia, nossa alma, livre e redimida, subirá, de ascensão em ascensão, para além das estrelas.

Emmanuel, psicografia de Chico Xavier