Discernimento

Os defeitos mais arraigados são aqueles que tomamos à feição de qualidades.
É preciso discernir entre:
Apresentação e vaidade;
Brio e orgulho;
Serenidade e indiferença;
Correção e frieza;
Humildade e subserviência;
Fortaleza e segurança de coração.
Quando algum sentimento nos induzir a parecer melhor ou mais forte que os outros, é chegado o momento de procurar a nossa própria realidade, para desistir da ilusão.
De que serve a nossa felicidade quando não diminui a infelicidade dos que se sentem menos felizes?

André Luiz